domingo, 11 de abril de 2010

Vis-à-vis


"Tem dias em que fecho os meus olhos para poder ver seu sorriso redondo, tão transparente, que me envolve das melhores lembranças de minha vida. Vejo seus olhos e ouço o tom da sua voz tentando inculcar em minha mente, isótopos, isóbaros e isótonos.Nada daquilo serviu para alguma coisa confesso-te. Mas não é frustrante. Você não esteve ali para me ensinar elementos.Você será um dos meus personagens favoritos, pelo resto da minha vida. Ou mais verdadeiro que isso “Você é o personagem de um romance já delineado em minha mente”. E toda vez que eu te encontro aquiesce as faíscas desses planos longilíneos. Não se assuste quando uma primeira edição chegar em suas mãos dedicada ao mentor da matéria que nunca saberei.É da forma como você fala comigo que me faz ser mais certa do que quero ser, e como quero ser.Esses dias me surpreendi naquele lugar que sempre nos encontramos por acaso, pensando em você, e como seria bom te ver naquela hora. Demorei mais que o costume tentando forçar o acaso. Não surtiu efeito. Fui embora sabendo que mesmo não tendo nos encontrado, tive um pouco da sua essência (que guardo enrustida na lembrança) naquele dia. E nunca esteve tão nítido o seu sorriso, seus olhos, e seus dedos e camisa sujos de giz. Não obstante fiquei feliz. "

Nenhum comentário: